O Socorro do Céu



Montado em seu cavalo, o fazendeiro dirigia-se à cidade como fazia frequentemente, a fim de cuidar de seus negócios.

Nunca prestara atenção àquela casa humilde, quase escondida num desvio, à margem da estrada. Naquele dia experimentou insistente curiosidade.

Quem morava ali?

Cedendo ao impulso, aproximou-se. Contornou a residência e, sem desmontar, olhou por uma janela aberta e viu uma garotinha de aproximadamente dez anos, ajoelhada, de mãos postas, olhos lacrimejantes...

- Que faz você aí, minha filha?

- Estou orando a Deus, pedindo socorro... Meu pai morreu, minha mãe está doente, meus quatro irmãos têm fome...

- Que bobagem! - disse o fazendeiro. - O Céu não ajuda ninguém! Está muito distante... Temos que nos virar sozinhos!

Embora irreverente e um tanto rude, era um homem de bom coração. Compadeceu-se, tirou do bolso boa soma em dinheiro e o entregou à menina.

- Aí está. Vá comprar comida para os irmãos e remédio para a mamãe! E esqueça a oração.

Isto feito, retornou à estrada. Antes de completar duzentos metros, decidiu verificar se sua orientação estava sendo observada.

Para sua surpresa, a pequena devota continuava de joelhos.

- Ora essa, menina! Por que não vai fazer o que recomendei? Não lhe expliquei que não adianta pedir?

E a menina, feliz, respondeu:

- Já não estou mais pedindo, estou apenas agradecendo. Pedi a Deus e ele enviou o senhor!


"Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas." (Pv 3.5-6)











segunda-feira, janeiro 16
Postado por: Rubens Ennes

Os Inimigos dos meus sonhos



É provável que um dos maiores inimigos da realização dos nossos sonhos estejam em nossos próprios olhos quando consideramos apenas o que o tempo e as circunstâncias tem a dizer. Se o tempo diz que "é tarde demais" e que "se não mudou até hoje, não muda nunca mais"; as circunstâncias não ficam atrás e logo nos apontam um cenário desanimador onde pouco ou nada pode ser feito para reverter a situação.

"...Não temas, crê somente." (Mc 5.36)

Se o sonhador José, o escravo que se tornou o grande vizir do Egito, tivesse se deixado levar pelo que via e sentia ao longo das sucessivas injustiças sofridas, teria desabado emocionalmente, perdido sua esperança e talvez, desistido da sua fé. Mas, sabemos que ele creu e confiou mesmo que em muitos momentos, sua bondade, fidelidade e excelência nos serviços prestados pareciam não valerem à pena.

"Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram." (Jo 20.29)


Em nossos dias, não é difícil encontrarmos pessoas ansiosas por entender como o milagre irá acontecer afim de saberem se há motivo ou não para crerem. Acontece que Deus não nos dá motivos como se mendigasse por nossa fé, ELE nos dá a Sua Palavra e ela precisa ser suficiente para nós. A essência da fé nos faz olhar para o futuro com a certeza que Deus vai cumprir o que prometeu. (Hb 11.1)












sábado, janeiro 14
Postado por: Rubens Ennes

E se você não tivesse escolha?


Quando éramos criança, tudo era menos complicado porque bastava a palavra de nossos pais para que nossas dúvidas e preocupações fossem completamente dissolvidas. Se a mãe dizia que tudo iria ficar bem, então, ficávamos tranquilos na certeza de que tudo ficaria bem. Se o pai dissesse para não ter medo porque ele estava ali, na mesma hora nos aquietávamos com a convicção de que agora estávamos protegidos e que nenhum mal nos aconteceria. Hoje, a Palavra que procede da boca de Deus parece não ser suficiente para muitos de nós.

Nascemos inocentes e à medida que vamos amadurecendo surge diante de nós, um leque de infinitas opções que nos obriga a fazer diversas escolhas diariamente, que em sua maioria, influenciam diretamente o nosso futuro. Em meio a um universo de possibilidades, surge a dúvida, o elemento determinante para o rumo infeliz que a humanidade tomou.

Sempre que precisamos fazer escolhas, damos preferência ao que entendemos ser a melhor alternativa para nós naquele momento. Não passa pela nossa cabeça a possibilidade de estarmos abraçando o mal, ao contrário, acreditamos estar optando pelo bem. O problema é que tanto o bem quanto o mal raramente estão vestidos do que realmente são. 

Como não somos oniscientes, temos a tendência de escolher o que é mal porque aquilo que vemos, ouvimos e sentimos tem um peso enorme em nossas decisões. Um exemplo clássico desta realidade tão comum a nossa natureza terrena é visto nas tantas pessoas que arruinaram suas vidas em nome do amor, quando na verdade, estavam sendo movidas pelo perigoso sentimento da paixão.

"Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte." (Pv 14.12)

No jardim do Éden a história era outra, o homem fazia o bem naturalmente, sem ao menos conhecer o que era o bem. Na sua inocência estava a sua garantia de felicidade e não haveria chance de fazer uma escolha ruim ou de fazer o que era mal enquanto só considerasse ter uma única opção: obedecer a Deus. Ao ordenar que não se comesse do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, Deus estava protegendo a criatura de fazer mal assim mesma. 

Ao contrário do que alguns acreditam, a felicidade não está atrelada a liberdade de fazermos o que quisermos da forma e na hora que tivermos vontade de fazer. A própria vida infeliz dos defensores dessa ideia acaba depondo contra a mesma, pois, não há como fugir o tempo inteiro das consequências de nossos atos. Precisamos usar nossa liberdade de escolha com responsabilidade e para o nosso próprio bem, não podemos nos dar o direito de ter uma outra opção, quando a palavra de Deus já nos mostrou a direção que devemos seguir. Se tem alguém que pode nos guiar às escolhas certas é Aquele que conhece o princípio e o fim de todas as coisas.








quarta-feira, janeiro 4
Postado por: Rubens Ennes

Deformar ou Reconstruir?



Elas tanto podem deformar quanto reconstruir. Conheça Chen Miller, uma professora israelense consciente do poder que há nas palavras e escolheu usá-las para transformar.








sexta-feira, dezembro 30
Postado por: Rubens Ennes

A Carta de Recomendação

“Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós? Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens.” (2 Coríntios 3.1-2)

Somos a própria carta escrita pelo Espírito do Deus Vivo para ser conhecida e lida por todos.

Não adianta! A pessoa pode forçar, pode ser querida, pode ser legal, mas, não consegue esconder o que realmente tem importância para ela. Se unir com Cristo é andar como Ele andou. A pessoa que é unida com Cristo não se preocupa em forçar nada, só se preocupa em andar como Cristo andou, e então, ela se torna uma carta escrita pelo Espírito do Deus Vivo, conhecida e lida por todos. Ou seja, todos que tem algum contato com essa pessoa, leem esta carta e enxergam a Glória de Deus nela.

“Até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará. Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” (2 Coríntios 3:15-18).


Moisés precisou usar um véu porque o seu rosto resplandecia a Glória de Deus que era passageira naquele momento, mas, a Glória do Espírito de Deus que habita em nós é permanente. Até os dias de hoje o véu está posto no coração dos homens, e só quando se convertem que este véu é tirado. Quando este véu é tirado então refletimos como um espelho a Glória do Senhor e também conhecemos e enxergamos com clareza as cartas que são escritas pelo Espírito do Deus Vivo e aquelas que não são.

Elizia Lucas








terça-feira, dezembro 27
Postado por: Elizia Lucas

Descobrindo quem é quem


Como saber se uma pessoa é de Deus? Quem tem autoridade para separar o joio do trigo? Nicodemos tinha o seu próprio método para identificar quem é quem: “Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.”  (João 3.2) 

Este é o critério mais utilizado até os dias de hoje para identificar se alguém é realmente de Deus ou não. Seguindo esta mesma linha de pensamento, podemos dizer que aqueles que forem capazes de impressionar ao realizarem grandes feitos, certamente são homens ou mulheres de Deus. O que não é verdade, pois este conceito falho se baseia apenas em sinais externos, o que contraria aquele que é o foco principal da atenção de Deus, o interior do homem.

A resposta do Senhor Jesus é esclarecedora:“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3.3). Apesar de sua sinceridade, devoção, profundo conhecimento das Escrituras e de não levar uma vida promíscua, o problema não estava no rótulo e sim no conteúdo. Nicodemos não estava apto para entrar no Reino de Deus porque não era nascido de Deus.

A igreja primitiva era formada por gentios (não judeus) e judeus, que por serem descendentes biológicos de Abraão e trazerem no corpo o sinal externo de aliança com Deus (circuncisão), tinham a arrogância de se considerarem "mais" de Deus que seus irmãos gentios. Entretanto, o Espírito Santo através do apóstolo Paulo os alertou sobre o que realmente é importante para Deus: “Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura.” (Gálatas 6.15). 

Em nossos dias, é comum muitos evangélicos se envolverem em debates acalorados nas redes sociais como se tivessem alguma razão de ali estarem. Entre zombarias, acusações e ataques pessoais nesta jihad gospel, o que se destaca é uma disputa feroz e egoísta para provar que são os verdadeiros cristãos, que possuem a melhor teologia ou que suas denominações religiosas são as únicas que vivem a sã doutrina, enquanto todos os demais são tachados de apostatas e hereges. O problema é que em nome da apologética cristã, aquilo que realmente importa está sendo deixado de lado. 

O diabo é um manipulador extremista, com ele é “oito ou oitenta”. Ou ele tentará convencer o homem através de um bombardeio de acusações de que ele é um caso perdido e que jamais receberá o perdão de Deus; ou se esforçará para acreditarmos que já somos bons o suficiente para sermos salvos, afinal, "existe gente muito pior que a gente nesse mundo". Mas, o que está em questão não é o quão bom ou mal nós somos; e sim, se passamos ou não pelo processo do segundo nascimento.

O que importa não é a frequência na igreja, o cargo que ocupa, as obras que já realizou ou qualquer elemento da rotina religiosa que costuma mascarar a realidade. Segundo o Senhor Jesus, o novo nascimento não é uma opção, e sim, uma condição para entrar no Reino de Deus. É preciso que estejamos dispostos a sacrificar a nossa velha criatura com suas vontades e desejos que tanto animam a nossa carne, para que um novo homem seja gerado em nós pela ação do Espírito Santo através da Sua palavra.











quarta-feira, dezembro 21
Postado por: Rubens Ennes

Livre-se desta Maldita Trave


Quando não enxergamos com clareza, as coisas acontecem debaixo do nosso nariz sem que a gente perceba. As oportunidades que aparecem e não aproveitamos, e os problemas que surgem e que nos damos conta só depois da situação ter se tornando crítica, são algumas provas da seriedade do assunto. O filho prodigo por exemplo, somente caiu em si quando chegou ao seu fundo do poço.

A maneira como enxergamos as pessoas e as situações do dia a dia influencia nas decisões que tomamos, e consequentemente, no rumo de nossa vida. O servo de Eliseu entrou em desespero, perdeu a paz e ficou sem reação quando o exército sírio cercou a casa do profeta, é o que acontece quando estamos no olho do furacão e não conseguimos enxergar com clareza o quão poderoso é o nosso Deus e que Ele está do nosso lado naquele momento de dificuldade. Esta falta de clareza na visão nos faz reagir mal e torna a situação difícil ainda pior.

O Senhor Jesus nos alertou: "Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão." (Mateus 7.5) Só conseguimos enxergar claramente quando tiramos a trave que está em nossos olhos. Enquanto não resolvermos isto, de nada adiantará tentar ajudar os outros, se não estamos ajudando a nós mesmos.

Esta trave que tanto nos atrapalha podem ser tantas coisas, talvez seja um orgulho, a hipocrisia, o comodismo, a preguiça, a distração, a ignorância, a intolerância, a imaturidade, o egoísmo, a ingenuidade, os pré-conceitos, etc. A verdade é que todos temos uma trave em nossa vida. Cabe a cada um de nós, com sinceridade identificar e remover esta maldita de nossa vida.








Postado por: Rubens Ennes

Seja homem e case! | Brad Wilcox

*Seja homem e case! - PragerU

Pesquisa confirma os Benefícios do Casamento:

"Neste vídeo produzido pela Prager University, o professor de Sociologia, Brad Wilcox, da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, faz uma síntese dos seus estudos e pesquisas a respeito da relação entre o matrimônio e a busca pela prosperidade, que culminou no livro “For Richer, For Poorer: How Family Structures Economic Success in America.”

A partir da análise da modificação cultural que o casamento proporciona na vida em sociedade, o professor demonstra padrões que podem ser observados no contexto americano e conclui que, apesar de ser subestimado hoje em dia, tal rito social exerceu, ao longo de diversas gerações, influência positiva na busca dos indivíduos por uma vida melhor e mais próspera. 

Além disso, os valores que devem ser a base de toda sociedade bem estruturada são reforçados no núcleo familiar, responsável em grande parte pelo sucesso (também) econômico de uma nação inteira."

segunda-feira, dezembro 19
Postado por: Rubens Ennes

Uma pequena verdade sobre as Parábolas



As parábolas narradas por Jesus usavam elementos do cotidiano israelita da época para ajudar a compreensão de Seus ensinamentos. Apesar da simplicidade, houve ocasião que nem o discípulos entenderam, tendo o próprio Mestre que explicar "tim-tim por tim-tim".

"Jesus lhes propôs esta parábola, mas eles não compreenderam o sentido daquilo que lhes falava." (João 10.6)


Aquelas analogias não eram rasas ou infantis, eram profundas e exigiam do ouvinte um esforço para absorverem a essência daquela mensagem. Se quisermos que Deus fale conosco, temos que nos certificar primeiramente, se temos ouvidos para ouvir o que o Espírito diz.










domingo, dezembro 18
Postado por: Rubens Ennes

Antes de dizer ao mundo...


*Trecho do Curta-Metragem "La Ventana" de Alejandro Bullón


A internet é uma ferramenta excelente para a obra de evangelização, mas muitos tem se acomodado na frente do computador ou do smartphone, se iludindo ao achar que estão ganhando almas do mundo inteiro só porque escrevem mensagens bíblicas em algum blog ou rede social. 

O que adianta afirmar que temos o desejo de ganhar o mundo para o Senhor Jesus, se não damos um bom testemunho comportamental em nossa casa e nem evangelizamos nossos próprios vizinhos?

Caro evangelista, o nosso próximo não passa a existir apenas quando vestimos um uniforme e saímos pelas ruas a evangelizar através de grupo da igreja. O nosso próximo está presente em todos os dias de nossa vida, ele está literalmente próximo a nós. A nossa missão começa muito mais perto do que imaginamos. Que Deus o abençoe e o capacite para servi-Lo a cada dia mais.














sábado, dezembro 17
Postado por: Rubens Ennes

A Sinceridade Maligna



A sinceridade é uma das virtudes mais belas que podemos encontrar em uma pessoa. Os sinceros não precisam disfarçar ou esconder suas intenções, e os admiramos porque são verdadeiros e nos inspiram confiança pela transparência que demonstram. Em contrapartida, a falsidade e a hipocrisia fazem parte das características que mais odiamos e que mais podemos encontrar tanto no mundo, quanto em nossas comunidades e congregações cristãs. 

Realizando o trabalho de resgate, conheci pessoas que defendiam seu afastamento da presença de Deus com a seguinte justificativa: “se é para estar na igreja fazendo tudo errado como muitos hipócritas fazem, então eu prefiro nem ir. Pelo menos eu estou sendo sincera...” 
Sabemos que de nada adianta termos grande conhecimento das Escrituras se não a praticamos, como também não adianta frequentarmos assiduamente uma igreja, se não vivermos em obediência a voz de Deus, mas, o que fazem em nome da sinceridade tem outro nome, conversa mole pra boi dormir. 

A conversão começa numa decisão firme de sujeitar nossas vontades a Deus e se houvesse sinceridade, talvez diriam a si mesmas: “Se é para estar na igreja fazendo tudo errado, então eu decido agora tomar vergonha na cara e mudar as minhas atitudes”. Não tenho dúvidas que o Espírito que nos dá a assistência que precisamos nos momentos de fraquezas iria imediatamente começar a sustentá-las em sua decisão. 

O problema é que no âmago de suas almas parece não existir o desejo sincero de mudar suas atitudes, é possível que estejam confortáveis com o desencargo de consciência obtido através dessa desculpa fajuta que inventaram ao rotularem a si mesmos como "sinceros". Não abrem mão da maligna zona de conforto espiritual por saberem que o processo de mudança é dolorido, exige comprometimento e sacrifício. E é justamente disto que estão fugindo. 
"Cada um zomba do seu próximo, e não falam a verdade; ensinam a sua língua a proferir mentiras; cansam-se de praticar a iniqüidade. Vivem no meio da falsidade; pela falsidade recusam conhecer-me, diz o SENHOR." (Jeremias 9.5-6)
Muito pior do que estar vivendo na prática do pecado, é não ter a humildade para reconhecer a triste condição em que se encontra e que precisa de ajuda. O Espírito Santo deseja que reconheçamos nossas falhas e fraquezas, que haja arrependimento do pecado cometido e que entreguemos nossa vida a Ele verdadeiramente e não da boca para fora...

Caso você tenha se identificado com o texto acima, seja honesto consigo mesmo(a) e jogue limpo com Deus, Ele NÃO exige que você dê uma explicação que venha justificar o seu erro. Nada disto! O Senhor Jesus não deixa de nos amar por causa de um ou de vários outros pecados, porém, Ele NADA poderá fazer para ajudar e principalmente, salvar até que haja uma entrega de vida realmente sincera de nossa parte.


Rubens Ennes

















Postado por: Rubens Ennes

A Alegria de Salvar | Atos 20.35



A Satisfação de ver que o dever foi cumprido 
nos faz ter a certeza que todo esforço valeu à pena.






sexta-feira, dezembro 9
Postado por: Rubens Ennes

Pedras Vivas ou Mortas, qual pedra você é?





  • Pedras Vivas eram aquelas pedras que permitiam ser talhadas, tomando assim, a forma que o construtor determinasse. À medida que perdiam pedaços, eram aperfeiçoadas. Ficavam menores, mas, também melhores porque se tornavam útil àquela construção. A Obra do Espírito Santo na vida de cada cristão sincero acontece desta maneira, precisamos diminuir a cada dia para que Ele possa crescer em nós.

  • Cada Pedra Viva deveria se encaixar na posição para qual foi projetada e deveria ter estrutura para suportar a carga das outras pedras vivas. O servo de Deus precisa entender que sua vocação exige que esteja fortalecido espiritualmente a fim de estar pronto para ajudar seus irmãos de fé quando precisarem.


  • As Pedras Mortas eram as que não suportavam o impacto da primeira batida da talhadeira e se despedaçavam. Por esta razão, acabavam sendo deixadas de lado pelo construtor. É provável que apenas na hora de tirar pedaços é que se conseguia identificar a que grupo pertencia cada pedra. Muitos são chamados, mas apenas os que permitem serem lapidados por Deus e estão dispostos a perderem os pedaços de si que não servem para Deus é que se tornam Seus escolhidos.


  • Não havia como a Obra estar concluída sem a presença da Pedra Angular. Ela era cravada no topo do arco, levava sobre si toda pressão exercida pelas outras pedras e consequentemente, sustentava toda a Obra. O Senhor Jesus é nossa Pedra Angular, que foi cravado naquele madeiro no topo do Gólgota, levando sobre si toda nossa culpa e condenação; e somente Ele, através do Espírito Santo, é que pode nos sustentar em todos os momentos críticos de nossa vida.


"Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências, desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação, se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso. Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo. Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular e: Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos. Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia." (1 Pe 2.1-10)










quarta-feira, dezembro 7
Postado por: Rubens Ennes

Será mesmo que o dinheiro atende a tudo?


É comum as pessoas dizerem que dinheiro não é problema, e sim solução. Há um versículo bíblico que parece corroborar com este pensamento popular: "o dinheiro atende a tudo".
Se levarmos ao pé da letra a expressão encontrada em Eclesiastes, podemos criar a ilusão de que basta ter o dinheiro suficiente para que todas necessidades de nossa vida sejam atendidas, e sabemos que isso não é verdade.
"O festim faz-se para rir, o vinho alegra a vida, e o dinheiro atende a tudo." (Eclesiastes 10.19)
O verso em questão fala da diversão que uma festa pode trazer e da euforia e alegria que bebidas como o vinho podem provocar em nosso organismo. Entretanto, o recado é simples: com o dinheiro se promove tudo isto e na falta dele, não há festa e nem bebida.
A Palavra de Deus reconhece a importância do dinheiro na vida do homem, mas, não o superestima. Por exemplo, ao mesmo tempo em que somos conscientizados da sua utilidade e relevância, somos alertados que o seu alcance é limitado. Assim como chega a hora em que a festa termina e o efeito da bebida também, o mesmo acontece com tudo o mais que o dinheiro possa comprar. O dinheiro é capaz de nos proporcionar momentos de diversão e alegria que trazem a sensação de felicidade, o problema é que estes momentos dependem do constante consumo ou aquisição de coisas ou no caso das festas, da atenção e companhia de pessoas para existir.
Não há neste texto bíblico a intenção de definir se uma coisa ou outra é ou não é pecado. O que existe é um convite a pensarmos sobre o lugar que o dinheiro ocupa em nossa vida e a sua real serventia. Se muitos demonizam a relação fé e dinheiro, a Bíblia não. As Escrituras Sagradas usam o valor que damos a elementos materiais como parâmetro para avaliarmos nossa condição espiritual.

















domingo, dezembro 4
Postado por: Rubens Ennes

Pode até parecer que não adianta, só parece...




A obediência a Deus coloca nossas vidas em Suas poderosas mãos. 
E nas mãos d'Ele, meus amigos, o que era desprezível se torna maravilhoso!








terça-feira, novembro 29
Postado por: Rubens Ennes

Receba as novidades do Blog em seu e-mail

Mantenha-se informado e atualizado

+ Recentes

Arquivos do blog

Sentido Único ©Copyright - Todos os direitos Reservados.. Tecnologia do Blogger.

Copyright © Sentido Único | Seguindo Sempre na Direção do Céu