Grande aos olhos de Deus



Mesmo em um grupo pequeno formado por pessoas simples como eram os doze discípulos que andavam lado a lado com o Senhor Jesus, existia aqueles que desejavam ser melhores ou de alguma forma, superiores aos demais. Este fato me fez pensar que não precisa de muito para que a vaidade, a ganância ou qualquer outro desejo carnal comece a engrossar a voz e falar mais alto dentro de nós. 

"Tendo eles partido para Cafarnaum, estando ele em casa, interrogou os discípulos: De que é que discorríeis pelo caminho? Mas eles guardaram silêncio; porque, pelo caminho, haviam discutido entre si sobre quem era o maior.” (Marcos 9.33-34) 

A pergunta do Senhor Jesus nos leva a refletir sobre o que tem nos preocupado mais, se a nossa vontade ou a d'Ele. Aquele silêncio dos discípulos significava uma espécie de reconhecimento de que estavam errados e de que haviam se desviado do seu chamado, se desviado do centro da vontade de Deus. 

Conseguimos enxergar com clareza, a qualidade do nosso relacionamento com Deus quando observamos quais tem sido os assuntos principais de nossas conversas no dia a dia, pois, eles indicam o que está sendo mais importante naquele momento em nossa vida. 

“E ele, assentando-se, chamou os doze e lhes disse: Se alguém quer ser o primeiro, será o último e servo de todos." (Marcos 9.35) 

Geralmente, a pessoa que conquista algum destaque ou exerce algum tipo de autoridade alcança além de algumas regalias, o respeito e a admiração de grande parte da sociedade, isto é natural. Aliás, carecemos de bons exemplos para inspirar a nossa geração. Porém, há quem se iluda com o reconhecimento e fique obcecado em adquirir cada vez mais status, passando a viver em função de superar a expectativa alheia, só para não perder a “majestade”. Escrevi sobre isto no artigo “Grande aos olhos do Mundo”. 

Diante de Deus a realidade é outra. Para o Espírito Santo não importa a aparência ou a condição; para Ele, grande é o que se esvazia de si mesmo, que não menospreza a ninguém, que trata a todos com respeito como se fossem seus superiores e por isto, serve ao seu próximo de todo o coração. Mas, poucos se dispõe a isto. 

Servo de Deus é aquele que voluntariamente abre mão de ter direitos, razão, ou reconhecimento. E a humildade, a obediência, o temor e a fidelidade são as principais características destes servos. 

Pense comigo: de nada adianta conseguir colocar o nome na história, entre os grandes desta terra, se o nosso nome não estiver no mais importante livro, o Livro da Vida.


Pr. Rubens Ennes











terça-feira, dezembro 16
Postado por: Rubens Ennes

A Convicção de Daniel


“Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se.” (Daniel 1.8)

Tudo começou no coração de Daniel, ele não era um robô, ele tinha um coração, e as suas convicções surgiram no seu coração, em outras palavras do seu interior. Desde o início, Daniel decidiu não contaminar-se, ele decidiu ser diferente. Ele não comprometeria sua fé por nada neste mundo, mesmo que isso significasse a morte.

Observe que Daniel não tinha os pais por perto para que eles o guiassem em suas decisões, ele viveu a sua fé a sua convicção. Todos aqueles que estão determinados a permanecer fiéis a Deus, mesmo enfrentando lutas e perseguições, o próprio Deus será a fortaleza para que permaneçam firmes. E essa também deveria ser a nossa experiência. 

Não podemos fugir do mundo, não podemos voar desta terra, a lei da gravidade nos mantém neste planeta, não é possível mover-se para longe dela, pelo menos por agora.O senhor Jesus mesmo disse que estamos nesse mundo, mas não pertencemos a ele. 

Não podemos servir ou seguir a Deus seguindo um conjunto de regras como os religiosos, temos que ter um propósito firme nos nossos corações. Daniel propôs em seu coração que ele ia obedecer à lei de Deus, que foi dada ao seu povo, e este seria o seu testemunho, ainda que isso lhe custasse a vida.

E você, está disposto a pagar o preço ??

Pr. José Ferro








segunda-feira, dezembro 15
Postado por: Rubens Ennes

A arte de recomeçar



É fato que ninguém gosta de ser demitido. Explicar os motivos de ter saído do último emprego ao recrutador não é nada fácil, mas encarar a realidade com maturidade é a melhor saída. Nada de inventar desculpas ou justificativas. Trate a questão com naturalidade e nada de se sentir culpado.

1. Foi demitido? Trate a questão com naturalidade.
2. Conflitos existem, mas nada que os recrutadores considerem como fator mortal.
3. Não fique arrasado com sua demissão, prepare-se e vá para entrevistas confiante.

Antes de entrar em depressão, tente enxergar a verdadeira razão de sua demissão. Muitas vezes, o problema está no relacionamento com o chefe e demissões dessa natureza são muitos comuns hoje em dia. Neste caso, fique tranquilo. Os recrutadores sabem que conflitos entre chefes e subordinados são a principal causa de demissões. Se for por culpa sua ou um grave erro cometido por você, deixe claro que aprendeu com a situação.

Lembre-se que todo mundo está sujeito a passar por uma ou mais demissões na vida. A diferença é como você lida com a questão. Quando se tira lições importantes de situações adversas, o recomeço sempre é enriquecedor e fortalece o profissional. Agora, quando a pessoa não aceita o que aconteceu e tenta enganar aos outros, a demissão pode se tornar um problema. Mentira tem perna curta e a chance de dar um novo passo na direção certa vai por água abaixo.

Ser demitido não é uma mancha no currículo irreversível. Muitas vezes você hiper dimensiona uma situação que é vista com naturalidade por quem está ao seu redor. Por isso, não esmoreça. Vá à luta e aproveite que o mercado está aquecido para alguns setores da economia. Prepare-se para a entrevista de emprego, seguro de que com sinceridade você chegará lá.

Julio Sergio Cardozo
Palestrante, Consultor de carreiras e Conselheiro de empresas











Grande aos olhos do Mundo



“Mas eu pensei: são apenas os pobres que são insensatos, pois não sabem o caminho do SENHOR, o direito do seu Deus. Irei aos grandes e falarei com eles; porque eles sabem o caminho do SENHOR, o direito do seu Deus; mas estes, de comum acordo, quebraram o jugo e romperam as algemas. Por isso, um leão do bosque os matará, um lobo dos desertos os assolará, um leopardo estará à espreita das suas cidades; qualquer que sair delas será despedaçado; porque as suas transgressões se multiplicaram, multiplicaram-se as suas perfídias.” (Jeremias 5.4-6) 

Os grandes eram pessoas da alta sociedade israelita, consideradas inteligentes e bem sucedidas, e que tinham sua opinião respeitada pela maioria. Jeremias acreditava que se os grandes, as pessoas importantes de Israel, entendessem e dessem ouvidos ao que Deus falava, todo o restante do povo os seguiriam para um grande concerto com Deus. 

A esperança de que talvez, só faltasse um pouco de informações a respeito da gravidade do afastamento de Deus daquela nação caiu por terra quando ele encontrou nessas pessoas a mesma dureza de coração e indiferença que havia encontrado nas demais. Esta recusa em obedecer a Deus significava rejeição ao próprio Criador e resultaria em severas consequências que atingiria igualmente a todos, grandes e pequenos, sem nenhuma distinção. 

Todos nós buscamos melhorar de alguma forma quem somos ou o que temos para sermos um pouco mais respeitados no meio que vivemos. Existem porém, aqueles que são capazes de extrapolar todos os limites, agindo inescrupulosamente só para garantir o seu lugar entre os “grandes” desta terra. 

O que muitas pessoas esquecem é que o baixo padrão deste mundo corrompido não significa nada para o Santo de Israel. O Todo Poderoso não se impressiona com diploma, patrimônio, beleza ou autoridade.  

Não importa o quanto possamos melhorar aos olhos da sociedade, seja em nossa aparência ou na conta bancária, essas coisas fazem apenas os homens mudarem o trato conosco; diante do Senhor Deus, nada muda, sempre seremos apenas almas. Arrependidas ou não, almas que mais cedo ou mais tarde terão que dar conta do que fizeram com suas vidas neste mundo.

Pr. Rubens Ennes













quarta-feira, dezembro 10
Postado por: Rubens Ennes

Quanto Tempo?



Um sábio estava cortando lenha na beira da estrada. Depois de algum tempo, um homem veio pela estrada, caminhando na direção da cidade mais próxima, e perguntou ao sábio:

- Quanto tempo até chegar a próxima cidade?

Apesar de ter ouvido, o sábio nada respondeu. Por isso o homem, em voz mais alta, insistiu:

- Quanto tempo para chegar até a próxima cidade?

Mas o sábio continuou em silêncio. Dessa vez o homem gritou, indignado:

- Quanto tempo para chegar a próxima cidade?

Como o sábio continuava mudo, o homem chegou à conclusão de que ele era surdo; e assim se pôs a caminhar depressa no rumo da cidade. O sábio observou-o a caminhar por uns instantes e de repente lhe gritou:

- Uma hora!

- Por que não me disse isso antes? - desabafou o viajante zangado.

- Porque eu primeiro precisava conhecer a velocidade que você caminha. - respondeu o sábio.



O tempo que levamos para tomar uma decisão importante tem influência direta na velocidade que as coisas acontecerão em nossa vida. Quanto mais tempo demorarmos para nos render à vontade de Deus, mais tempo o nosso sofrimento irá durar.

 "Ah! Se o meu povo me escutasse, se Israel andasse nos meus caminhos! Eu, de pronto, lhe abateria o inimigo e deitaria mão contra os seus adversários." (Salmo 81.13-14)














domingo, dezembro 7
Postado por: Rubens Ennes

Um homem de Deus e um desafio


Em nossas vidas podemos encontrar muitos tipos de desafios, porém, todos eles fazem muito mais que provar o nosso caráter, nossa fé e ver onde estamos focados e a quem servimos.

“Agora, pois, manda reunir-se a mim todo o Israel no monte Carmelo; como também os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal, e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel. Então Acabe convocou todos os filhos de Israel; e reuniu os profetas no monte Carmelo. Então Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.” (1Reis 18:19-21)

A cena é descrita no monte Carmelo, um lugar conhecido pelas pessoas daquela região, porque era uma espécie de cordilheira e a forma que tinha, deu a possibilidade para que o povo pudesse ver o que estava para acontecer de longe.

A história nos mostra que de um lado estava o profeta Elias e do outro um povo cheio de dúvidas e sem visão de Deus. O grande desafio aqui não era apenas observar o que Elias estava questionando às pessoas, porém, se estamos preparados para estar diante do povo e trazê-los para o desafio. É incrível o desafio ele que fez ao povo, em outras palavras: “até quando vocês irão brincar com Deus? Isso não é uma brincadeira, se vocês acreditam em Deus tomem a decisão de segui-lo.”

Elias demonstrou sua fé não só com palavras, mas em uma atitude cheia de fé, uma vez consumado o ato dos profetas de Baal na tentativa de chamar a atenção do seu deus sem sucesso, Elias começa a reconstruir o altar, era muito importante a reconstrução daquele altar. Que admirável ver este homem comum como nós, porém com tanta fé em Deus! Elias lhes estava dizendo: este altar representa a união de Deus com o seu povo. A história termina quando caiu fogo do céu e consumiu tudo o que estava no altar, provando assim quem era o verdadeiro Deus.


Prepare-se para os desafios que virão, porque serão grandes, porém, alcançáveis e possíveis para aqueles que estão sempre em contato com o altar de Deus sacrificando.

Pr. José Ferro 










quarta-feira, dezembro 3
Postado por: Rubens Ennes

Veja o que o Bispo Macedo falou sobre os homossexuais





Vem polêmica por aí???

Veja o que disse o lider da Universal, bispo Edir Macedo, sobre os homossexuais e a igreja evangélica.









terça-feira, dezembro 2
Postado por: Rubens Ennes

Como você lida com os fracassos?



Nem todo mundo está preparado para aceitar fracasso na vida, seja no trabalho ou na vida pessoal.  Ninguém gosta de se sentir estagnado na carreira, enquanto seus colegas vão assumindo cargos mais altos. Muito menos levar bronca do chefe o tempo todo e perceber que é visto como incapaz. Mas situações como essas fazem parte do nosso dia a dia. O importante é encarar os problemas de frente e driblar as frustrações.

1. Reflita. Ninguém escapa do erro cometido.
2. Pare. Analise a situação e procure entender onde errou.
3. Seja maduro. Assuma a responsabilidade e procure consertar o que saiu errado.

Ninguém é bom o tempo inteiro. Por isso, procure aprender com os erros e fracassos. Pense em como agir para evitar que novos fracassos aconteçam. Nada de se afundar ainda mais em pensamentos negativos de que você não consegue. Todo mundo tem uma segunda chance. Mas atitudes derrotistas só vão comprometer sua autoestima e deixá-lo na pior. Entenda os motivos que o levaram a falhar para minimizar a situação.

Não se deixe abater e vá em busca de oportunidades que o faça se reerguer e consertar o problema. Assuma o problema e não esconda sua responsabilidade. Atitudes maduras só o fazem crescer e levá-lo a seguir em frente. Muito mais do que você imagina, é comum as pessoas perderem o emprego, não darem certo com algum chefe ou terem que reinventar seu negócio. A diferença dos vencedores é que não se sentiram derrotados na primeira guerra e continuaram a batalha.

Julio Sergio Cardozo
Palestrante, Consultor de carreiras e Conselheiro de empresas











segunda-feira, dezembro 1
Postado por: Rubens Ennes

7 Lições para escrever uma Nova História (6)


vida de Raabe é a prova de que para Deus até o mais desonrado e desacreditado dos homens pode reescrever a própria história. Mas, ela não se tornou um exemplo de superação por acaso, neste artigo você aprenderá algumas lições de Raabe para escrever uma nova história em sua vida.  

Para lições anteriores clique: (1-3)(4), (5),



6.  No momento crítico, confiou.
Logo que a invasão de Jericó teve início, Raabe e sua família foram retirados de casa e acampados fora do Arraial de Israel, eles agora estavam livres da destruição que atingiria todos os seus conterrâneos. Mas, apesar do grande livramento recebido, o futuro de Raabe era incerto, sua cidade natal estava completamente destruída e sua família ainda não havia sido admitida dentro do arraial israelita, o acordo firmado não dizia nada a respeito do pós-invasão. O que seria de Raabe e sua família? Onde iriam morar? Como iriam viver, se sustentar, se proteger?


"Então, entraram os jovens, os espias, e tiraram Raabe, e seu pai, e sua mãe, e seus irmãos, e tudo quanto tinha; tiraram também toda a sua parentela e os acamparam fora do arraial de Israel." (Josué 6.23) 

Diante das incertezas da vida, é natural que manifestemos alguma preocupação. Nestas horas, porém, precisamos ficar atentos para não ficarmos imaginando o pior cenário possível, o que não é difícil de acontecer. Que mãe nunca pensou que algo ruim tivesse acontecido com seu filho só porque ele ainda não havia chegado em casa no horário de costume; ou que trabalhador que não imaginou que ia ser demitido naquele dia que o chefe disse que tinha algo sério para falar com ele?

O que muitos não entendem é que estes conflitos e questionamentos não são meras fraquezas humanas, mas, sementes malignas lançadas pelo diabo para abalar nossa fé, perturbar a nossa mente e travar nossa vida.


"Mas Josué conservou com vida a prostituta Raabe, e a casa de seu pai, e tudo quanto tinha; e habitou no meio de Israel até ao dia de hoje, porquanto escondera os mensageiros que Josué enviara a espiar Jericó." (Josué 6.25)   

É inútil se preocupar com aquilo que não está ao nosso alcance de resolver. A exemplo de Raabe, não faltarão momentos em nossa vida que a única coisa que nos restará será crer e confiar nos cuidados de Deus. O mesmo Deus que não desamparou aquela mulher, não irá lhe desamparar, se n'Ele você crer e confiar. 

Pr. Rubens Ennes













Que palavra você diz a si mesmo? | Bp. Jorge Silva



As palavras que pronunciamos a nós mesmos podem ser mais poderosas ou perigosas do que imaginamos.









terça-feira, novembro 25
Postado por: Rubens Ennes

O Coração Enganoso e a Mente Sábia | Bp. Randal Brito


















quarta-feira, novembro 19
Postado por: Rubens Ennes

10 Testemunhos da Fogueira Santa no Monte Carmelo (Dez/2014)





O Sentido Único preparou uma playlist com 10 testemunhos de pessoas que tomaram uma decisão que mudou a história de suas vidas.

Você pode assistir aqui no blog através do player acima ou diretamente no YouTube clicando AQUI









terça-feira, novembro 18
Postado por: Rubens Ennes

Buscando a Deus em Oração


“Depois disto, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos meunitas, vieram à peleja contra Josafá. Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. Então, Josafá teve medo e se pôs a buscar ao SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá.” (2 Crônicas 20.1-3)

Durante o reinado de Josafá, um grande exército se reuniu para atacar a nação de Judá. A resposta do rei àquela situação nos dá um exemplo de como devemos atuar quando enfrentarmos as nossas próprias lutas. A Bíblia diz que o rei “se pôs a buscar ao Senhor” em oração.  Do mesmo modo, quando passamos pelas dificuldades, nossa melhor resposta é clamar ao nosso Senhor. Como servos de Deus, podemos ter certeza de que Ele nos ama e se preocupa com cada detalhe da nossa vida.

Através da Cruz, Deus estabeleceu uma nova aliança com aqueles que depositam sua fé no Senhor Jesus. Ele concordou em perdoar os nossos pecados, nos aceitou como seus filhos e vela por nós. Esta salvação não depende de nossas boas obras, porém, do trabalho perfeito de Jesus que morreu em nosso lugar.

Deus também enviou o seu Espírito para viver em nós como garantia da nossa salvação e estar sempre presente em nós. Ele está interessado em cada aspecto de nossas vidas e promete ouvir e atender nossas orações. Josafá estava preparado para aquele momento difícil, porque ele tinha desenvolvido o hábito de buscar a Deus em diferentes situações.

Se queremos estar preparados para o inesperado, então devemos disciplinar a nós mesmos para buscarmos ter um compromisso com Deus todos os dias, reconhecendo que Ele é o nosso Senhor e que dependemos d'Ele. Se começarmos o dia pensando em Deus ao invés de pensar nos nossos problemas, devemos ler e meditar na palavra de Deus, se atuamos dessa maneira vamos mostrar um coração que verdadeiramente O busca.

Pr. José Ferro







segunda-feira, novembro 17
Postado por: Rubens Ennes

Há respostas que só vem com o tempo | Bp.Romualdo




Testemunho pessoal do Bispo Romualdo no Templo de Salomão.










sábado, novembro 15
Postado por: Rubens Ennes

Não foi só um tropeço - Parte 2


Os tropeços fazem parte da nossa caminhada na fé. Podemos até tentar, mas, não conseguiremos acertar o tempo inteiro. O problema é que todo tropeço vem acompanhado de consequências negativas e algumas delas podem ser mais graves do que se imagina. Porém, dificilmente alguém irá atribuir a palavra “tropeço” à um acontecimento terrível. Tanto, que ao cometermos algum erro, a justificativa diante dos outros e diante da nossa própria consciência, parece estar sempre na ponta da língua: “Errar é humano, isto foi só um tropeço...”

Mas, a verdade é outra. Quando fazemos isto, estamos tentando aliviar as coisas pro nosso lado, justificando o injustificável. Como o advogado de defesa de um assassino que sabe que jamais conseguirá inocentar seu cliente, e por isto mesmo, tenta encontrar alguma razão ou justificativa para aquele crime, afim de conseguir pelo menos, uma pena mais branda. Só que não tem jeito, o fato é que seu cliente é culpado e ponto!

É muito comum as pessoas buscarem uma palavra mais amena para seus pecados. A magoada está um pouco “sentida” ou “chocada” com quem a destratou. O mentiroso apenas falou uma meia verdade que não prejudicou ninguém. A fofoqueira fez uns comentários sem maldade nenhuma. O adúltero flertou e trocou algumas palavras mais quentes com aquela mulher, mas não aconteceu nada demais... E assim vai.

O problema é que esta fuga da realidade não resolve nada e só demonstra que a pessoa nunca se arrependeu do que fez. Quando nos arrependemos, passamos a ter nojo daquilo que fizemos e não ficamos tentando tapar o sol com a peneira. Mas, sem arrependimento sincero, o homem não é perdoado e irá carregar uma “mancha” que vai fazê-lo ficar neste mundo se o Senhor Jesus voltar arrebatando Sua Igreja ou ser condenado ao inferno se morrer nesta condição.

O primeiro passo para a mudança de vida é ser sincero consigo mesmo, não mais tentando se convencer de que talvez, não somos tão ruins ou pecadores assim, só porque existe tanta gente que é capaz de fazer coisas muito piores do que nós. Por outro lado, a nossa queda começa no momento que deixamos de admitir a gravidade dos nossos pecados.

"Portanto, se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno. Se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida com um só dos teus olhos do que, tendo dois, seres lançado no inferno de fogo." (Mateus 18.8-9)

Ninguém irá entrar vida eterna maneta ou caolho, os salvos receberão um novo corpo, um corpo glorificado. O Senhor Jesus usou de forte linguagem figurada para nos mostrar a seriedade do assunto e que é necessário radicalizar sim, tomando medidas extremas em relação aos tropeços.

Eu me lembro de um rapaz evangélico que toda vez que saía com sua namorada “tropeçava” no abrasamento e voltava pra casa triste e com a consciência pesada. Apesar de jamais terem se relacionado sexualmente, estava na cara que se nenhuma providência fosse tomada, é o que iria acontecer. Foi quando ele decidiu fazer um acordo com sua namorada criando regras para os próximos encontros. Além de se encontrarem apenas durante o dia em lugares de grande movimentação, também, os abraços não deveriam ser tão apertados e os beijos não poderiam ser demorados. Parece radical demais? Pode até ser, mas, foi o que resolveu o problema de alguém que escolheu blindar o que considerava mais importante, a Salvação.

Eu não sei o que pode estar atrasando sua vida e te separando de Deus, mas seja o que for, não trate isto como algo corriqueiro. Pois, só o fato de nos deixar longe da presença de Deus e consequentemente, nos tornar presas fáceis nas garras do diabo, já temos motivo de sobra para considerarmos isto como algo muito grave.

Pr. Rubens Ennes






*Confira também a primeira parte desta mensagem: Parte 1





sexta-feira, novembro 14
Postado por: Rubens Ennes

Receba as novidades do Blog em seu e-mail

Mantenha-se informado e atualizado

+ Recentes

Arquivos do blog

Sentido Único ©Copyright - Todos os direitos Reservados.. Tecnologia do Blogger.

Vale o clique!

Copyright © Sentido Único | Seguindo Sempre na Direção do Céu