Culpando a Deus pela vida arruinada


Um grupo de profissionais empenhava-se freneticamente 
na construção de uma grande obra.
Um engenheiro experimentado, constatou o alto risco do empreendimento e advertiu:
- Como está sendo construída, essa obra vai ruir!
Repetiu a advertência, vários dias seguidos, inutilmente.
Todos olhavam desdenhosos, sem prestar atenção às suas explicações técnicas.
Faltando pouco para ser concluída, a obra desmoronou, ruidosamente.
O engenheiro foi punido, severamente, por ter atraído mau agouro.

A injustiça sofrida pelo engenheiro é a mesma que tem sido feita pelo homem em relação a Deus, quando ignora os Seus constantes avisos e segue obstinadamente o seu próprio jeito de ser, fazer e viver, mas, que no dia da calamidade olha para o céu e pergunta a Deus: “Porque o Senhor fez isso comigo, porque deixou isso acontecer?”. 

"É a insensatez do homem que arruína a sua vida, mas o seu coração se ira contra o Senhor." (Provérbios 19.3)


Observe que a origem dessa indignação descabida está no coração, que incentiva o homem falto de juízo a terceirizar sua própria culpa e o impede de enxergar que sua insensatez tem sido a razão da vida arruinada que leva.

Que nunca nos falte o bom senso, a humildade e a coragem para assumir a responsabilidade que temos sobre as escolhas que fazemos.









sexta-feira, agosto 18
Postado por: Rubens Ennes

Melhor é a sabedoria do que a esperteza.

Viver em sociedade nos traz algumas imposições, dentre elas, a inserção obrigatória de todos nós em vários grupos específicos. Cada grupo social tem o seu próprio modo de operar. Tanto no trabalho, na escola ou em família encontramos um sistema que depende de um conjunto de regras pré-estabelecidas para funcionar. O estabelecimento de um padrão ideal de comportamento facilita o convívio diário e a sua observância é importante quando se deseja alcançar objetivos na vida sem manchas em nossa ética e moral.

Há mais de uma semana, fui perguntado se existe algo de positivo no famoso "jeitinho brasileiro", fiquei sem resposta e sinceramente, até agora não consegui encontrar o lado bom da coisa.  Talvez, eu pudesse citar algumas soluções criativas que foram encontradas por gente que precisou se virar para superar as dificuldades da vida, mas sei que eu estaria sendo ingênuo, uma vez que estas pessoas se encontram no rol das exceções. Mas infelizmente, o jeitinho brasileiro é normalmente atribuído ao maligno hábito de achar que podemos ser mais espertos que a maioria e que por tanto, podemos fazer nossas próprias regras para obter vantagens a qualquer custo.

Entretanto, enganam-se quem acha que este desvio de caráter seja exclusividade de nosso país, os fariseus de Marcos 7.9 nos provam que independente do local ou da época, existe no homem a inclinação em trilhar o torto caminho das facilidades. Segundo o Senhor Jesus, eles eram muito bons em darem um jeito para deixar de lado a vontade de Deus e sem que ninguém percebesse, estabelecer as suas próprias regras, como se estas fossem mandamentos de Deus. Não existe nada de positivo na arte de ser “bom” em distorcer os fatos só para impunemente, continuar fazendo a própria vontade.

“E disse-lhes ainda: Jeitosamente rejeitais o preceito de Deus para guardardes a vossa própria tradição.” (Mc 7.9).

Quando uma mãe se esmera para que o filho entenda que precisa ser honesto, trabalhador e estudioso, ela não está pensando em si mesma, mas no futuro deste filho, principalmente quando ela não estiver mais aqui. Se deixarmos a nossa arrogância de lado, conseguiremos reconhecer que apesar de inconveniente, colocar freios que nos ajudam a não sair da pista ao longo do percurso de nossa existência se faz necessário.

O desrespeito aos limites da disciplina pode não trazer danos imediatos, mas isto, não significa que conseguiremos evitar suas consequências futuras. Quem tenta encurtar o caminho burlando regras para não ter que se dar o trabalho de esperar, de aprender, de mudar e de se esforçar, desamparado ficará no temporal mais forte que se levantar, quando começar a ruir a linda casa que irresponsavelmente construiu sobre o solo arenoso das facilidades. Melhor é a sabedoria do que a esperteza.









segunda-feira, agosto 14
Postado por: Rubens Ennes

Com que frequência você pensa no Céu?

Com que frequência você pensa no Céu? Responder a esta pergunta nos ajuda a enxergar qual tem sido o maior alvo da nossa vida e o principal motivo das nossas ações.

Quem não pensa no Céu, vive tão envolvido com os afazeres e preocupações da vida terrena que parece estar ocupado demais para Deus, como se a solução de um problema ou a realização de um projeto pessoal fossem suficientes para garantir a felicidade plena.

Quem não pensa no Céu valoriza apenas o que sente, se deixa levar pelas circunstâncias, dominar por seus impulsos carnais e pelas vontades do seu coração enganoso; ou seja, vive como se nossas escolhas não tivessem consequências.

"Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens." (1Coríntios 15:19)

Que a cada dia que passe, venhamos pensar com mais frequência no Céu, porque a nossa estada neste mundo vai terminar antes do que imaginamos e precisamos estar preparados para estar frente a frente com o nosso Deus.










domingo, agosto 13
Postado por: Rubens Ennes

Como reavivar o dom de Deus em nosso Ministério



O que você pode fazer se você já perdeu o seu entusiasmo de servir a Deus? O próprio Timóteo precisou ser reavivado. Talvez  as circunstâncias difíceis ou as provas da vida o tenham deixado desanimado e sem forças. Ou talvez, simplesmente continue trabalhando, mas o Espírito Santo parece estar ausente e você não vê resultados no seu trabalho. Paulo disse a Timóteo :

"Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos" (II Timóteo 1:6).

O dom de Deus dado a Timóteo é semelhante a uma  chama de fogo que ele devia manter avivado. Esse Dom era provavelmente o poder especial  do Espírito  Santo para realizar a  Sua obra. Observe que os dons e o poder que o Espírito dá a cada servo não permanecerá  forte e vigoroso por si só, mas como isso é feito? Deus nos ensinou o que fazer quando sentimos que essa chama está se apagando. Ele nos ordena a recarregar.

A obra de Deus se torna emocionante quando você está cheio do Espírito  Santo, todos nós desanimamos em algum momento  de nossas vidas, todos estão sujeito a isto. Por isso dobre os seus joelhos diante de Deus e peça novas forças a Ele. Examine sua vida, se arrependa de qualquer pecado que tenha cometido e siga as orientações  de Deus em tudo. Os problemas se tornam maiores e mais fortes quando nos focamos neles. Porém, quando colocamos os nossos olhos no Senhor Jesus, Ele se torna maior e mais forte que qualquer problema que enfrentemos.

Devemos rejeitar qualquer sugestão do diabo. Quando nos encontramos desanimados, o diabo nos mente dizendo: "Você não pode mais usar este uniforme. Já não deve fazer parte do grupo de evangelização. Você não é digno de participar da FJU. Ninguém  nota a sua presença , o pastor da igreja já não conta mais com você. Você já  não é aquele obreiro de antes. Porque não jogar a toalha?" E um montão de  coisas mais. Temos que reconhecer que todos os pensamentos de desânimo vem do diabo, por isso devemos rejeitá-los imediatamente.

Portanto, vamos aproveitar o Jejum de Daniel para nos desconectar de qualquer notícia do mundo, do celular, dos aparelhos eletrônicos, dos passatempos,  devemos estar em maior sintonia com Deus e a Sua Palavra e assim reavivar nossa relação com Ele e também o nosso Ministério. Depois de tomar esta decisão, você pode fazer a obra de Deus com mais entusiasmo. É possível que ainda assim persistam as circunstâncias difíceis, porém você estará preparado para lidar com elas, já que a chama do Espírito Santo vai estar ardendo dentro de você com toda força.


Pense nisto e que Deus lhe abençoe








sábado, agosto 12
Postado por: Jose Ferro

O exemplo que nos aproxima de Deus



"O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco." (Fp 4.9)

Neste trecho da carta de Paulo aos cristãos filipenses, o apóstolo se mostra seguro da obra que o Espírito Santo operou em sua vida e por isso, afirma com convicção que aquelas pessoas poderiam praticar tanto o que ouviram dele, quanto o que viram nele, que o Deus da paz seria com elas. As palavras de Paulo harmonizavam com suas atitudes, e ele era consciente disto.

Pregue, aconselhe, corrija e eduque, porém, jamais esqueça que o "peso" de suas palavras não depende da entonação de voz que usará, mas, do exemplo de conduta que você tem apresentado até aqui. Entenda uma coisa, as nossas atitudes precisam validar nossas palavras.

O mais eficaz dos ensinos não está no sermão bem elaborado, e sim, no caráter íntegro de alguém que pode dizer: faça o que eu digo e também o eu que faço. Talvez, o bom exemplo não seja o bastante para "arrastar" como diz uma expressão popular, mas, ele é suficiente para no mínimo, conscientizar e motivar.










quinta-feira, agosto 10
Postado por: Rubens Ennes

Quando nos sentimos sós


“Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hebreus 4:15-16)

Apesar de que a tecnologia nos permite manter conectados, ainda assim não resolvemos o problema da solidão. Muitas pessoas se sentem isoladas ainda que várias pessoas estejam em volta delas. A verdadeira solução para curar a profunda dor da solidão é um relacionamento íntimo com o Criador.


Quando Deus criou Adão Ele disse: "Façamos no à nossa imagem, conforme a nossa semelhança". Um ponto de semelhança com o Senhor é a capacidade de interagir com os outros. Além disso, fomos criados para termos comunhão com Deus. Adão e Eva tinham uma relação íntima com Deus, que passava o tempo com eles no jardim do Éden. Porém, a desobediência do casal criou um afastamento na relação, porque Deus é santo. Ele não pode permitir nada de pecado em Sua presença. Depois que o pecado entrou no mundo através do primeiro casal, todo mundo está manchado e, portanto, separado de Deus. É por isso que Deus fez uma ponte para tirar essa distância  que havia entre  Ele e a humanidade​. O Senhor Jesus levou sobre si nossos pecados e morreu na cruz, lavando assim a mancha do pecado. Quem confia no Seu sacrifício para remissão de pecados cruza essa ponte formada pela cruz.

Todo servo de Deus é reconciliado, ou seja, restaurado para um bom relacionamento com Deus. Ter um relacionamento íntimo com Deus significa que nunca estamos sós. Desde que Jesus suportou e passou com êxito  suas provas, pode oferecer agora sua graça e misericórdia para ajudar aqueles que passam por dificuldades ou necessidades, porque Ele sabe o que estamos passando.

É possível que às vezes nos sintamos sós, porém sempre temos um amigo com quem podemos contar. Este amigo sempre se manifesta quando O procuramos  e O procuramos com todo coração. Por isso, deixe o seu celular ou apague a tela do seu computador por um momento e fale com o seu amigo fiel, porque seus ouvidos estão atentos para escutar sua voz e secar as suas lágrimas.


Pense nisso e que Deus lhe abençoe.










quarta-feira, agosto 9
Postado por: Jose Ferro

Um Propósito na vida


Por um momento, pare para pensar qual é o propósito da sua vida? Será que você não está sendo egoísta, vivendo para si mesmo e  para seus próprios interesses? Como se o mundo gerasse unicamente em torno de si? 

O único objetivo de grande valor e alegria eterna é servir ao Senhor Jesus. Como servos Seus, nossa vida deve imitar a dEle. A Bíblia diz: “o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a vida em resgate de muitos” (Mt 20:28).

O rei Davi conduziu a grandes exércitos para guerras e venceu a muitas delas, tendo o Senhor Deus ao  seu lado. Hoje existem bispos,  pastores, servos de Deus pregando e dedicando a sua vida a milhares de pessoas em todo o mundo e muitas almas estão sendo salvas. Que relação tem este estilo de vida com a sua?

Embora essa comparação possa nos desanimar, muitos cristãos usam varias desculpas e nem ao menos tentam, dizem  que não tem experiência ou que não tem condições de fazer o trabalho. Mesmo assim, o chamado que Deus faz  com  cada pessoa é único e importante, por mais simples que seja o trabalho que vai ser realizado. Ele colocara em sua boca a palavra certa, te dará capacidade, sabedoria e claro as oportunidades para que você passar fazer o que Ele quer que seja feito.

Lembre-se que o nosso Deus é o único que faz toda diferença, a obra é dEle. Somos apenas simples ferramentas em Suas mãos, e o fato de que Ele  nos use e conte conosco, é uma bênção  e um grande privilégio. Você está mostrando seu amor ao Senhor Jesus por meio do serviço ao seu próximo? Viva de tal maneira que você ao fim de cada dia possa dizer: “Senhor Deus, hoje eu tentei fazer a sua vontade da melhor maneira que pude”.


Pense nisso e que Deus o abençoe. 













sexta-feira, julho 28
Postado por: Jose Ferro

Estamos avisados...


"Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; o seu sangue será sobre ele; mas o que se dá por avisado salvará a sua vida." (Ezequiel 33:5).

De acordo com as profecias bíblicas, a principal característica do final dos tempos será vista na falta de arrependimento do ser humano diante dos sinais apocalípticos. A cada dia que passa, aumentam o número das profecias que estão se cumprindo, mas, infelizmente também tem aumentado os que não se dão por avisados mesmo com tantas evidências ao seu redor.

O ditado popular diz que "quem avisa, amigo é".  O Senhor Jesus é o melhor Amigo que alguém possa ter e é através da Sua Palavra que Ele revela todo o Seu amor por nós, manifestando claramente que deseja nos salvar. Por isto, além já ter nos avisado no passado, Ele tem em nossos dias, usado Seus servos para alertarmos sobre a necessidade de arrependimento.

Quem não se dá por avisado, não se arrepende e não vê importância em mudar sua rotina por Ele.












quarta-feira, julho 19
Postado por: Rubens Ennes

A Transformação de Gideão


Você já teve a impressão que não estivesse à altura de um desafio que Deus colocou diante de você? Há momentos em que todos nós lutamos com esses sentimentos. Os problemas podem surgir quando usamos nossa incompetência como um manto para nos esconder do trabalho que Deus ordenou. Em certos casos, tentamos nos convencer de que aquela responsabilidade ou tarefa é muito grande e que Deus espera muito de nós. Quando isso acontece, podemos cair na tentação de deixar passar as grandes oportunidades que Deus está nos dando.

O sentimento de incompetência surge do medo, medo de fracassar e não satisfazer as expectativas das pessoas. Mas, não importa o quão pouco qualificado que nos sentimos, o medo não é uma desculpa aceitável para evitar a responsabilidade. A verdade é que, ainda que uma pessoa não se sinta competente para cumprir algumas das obras maravilhosas que Deus pode fazer, o Espirito Santo que habita nela, é muito mais que competente! Como servos de Deus, não temos que ter qualificações ou habilidades perfeitas; só temos que estar dispostos a obedecer e pronto. O que você tem recusado de fazer para Deus?

Quando Gideão foi chamado, ele estava escondido numa caverna, malhando o trigo, porque tinha medo de que os amalequitas roubassem o seu trigo. Deus o chamou para liderar dizendo-lhe “o Senhor é contigo homem valente”. Gideão aceitou ser usado por Deus, porém, ele tinha dúvidas e medo. Apesar de tudo isso decidiu obedecer, ele provou a Deus várias vezes para confirmar o seu chamado. E Deus pela sua infinita misericórdia respondeu a cada uma delas.

Depois que as dúvidas foram dissipadas, ele recrutou 32.000 soldados para lutar, então Deus reduziu o seu pelotão duas vezes até chegar a 300 soldados, novamente Gideão teve medo, mas Deus deu um terceiro sinal de confirmação que convenceu a Gideão e o final você já conhece. Gideão saiu vencedor. O povo reconheceu que foi Deus que os libertou da mão de seus inimigos. Deus levantou um simples agricultor que não sabia táticas de guerra, para dar vitória ao seu povo. Gideão não tinha nada de experiência em guerra, não era um homem perfeito, tinha medo e precisou confirmar o seu chamado em três ocasiões. Gideão apenas obedeceu porque ele acreditou em Deus e em suas promessas. E por esse motivo Gideão foi transformado em um homem valente, digno de ser chamado herói da fé em Hebreus 11.


O que nos ensina este homem: crer e obedecer é segredo da vitória. Deixe seus medos de lado e confie na Palavra de Deus. Gideão viu as maravilhas de Deus e com certeza você também as verá.








segunda-feira, julho 17
Postado por: Jose Ferro

SAINDO DA CAVERNA #14: Sem condição, mas, com disposição.


"Fez Gideão descer os homens às águas. Então, o Senhor lhe disse: Todo que lamber a água com a língua, como faz o cão, esse porás à parte, como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber. Foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; e todo o restante do povo se abaixou de joelhos a beber a água.” (Juízes 7.5-6)

Quando se sofre uma derrota inesperada é comum alguém se perguntar: "Mas, o que foi que eu fiz para merecer isto? Onde foi que eu errei, que pecado cometi?" Embora, sabemos que há sofrimentos decorrentes da desobediência a Deus, nem todo fracasso tem origem nos pecados cometidos.

Quando Gideão anunciou que os tímidos e medrosos deveriam se retirar para suas casas, restaram apenas 10 mil homens para pelejar contra o inimigo. Deus ordenou que aqueles homens fossem levados à fonte de águas, e caberia a Gideão observar e separar cada um segundo a maneira que bebessem água. Naquele dia, o espírito de cada um foi colocado à prova e somente trezentos homens se mostraram aptos para o combate. O que causou a reprovação e exclusão dos outros nove mil e setecentos não foi nenhum pecado, mas, a maneira como beberam a água.

A maneira como desempenhamos uma tarefa revela muito sobre o nosso espírito naquele momento. Quando estamos animados, nos esforçamos em ser excelentes no que fazemos, mas, se houver em nós uma raiz de preguiça, a tendência que o nosso desempenho seja medíocre para o que é obrigatório e inexistente para o que for opcional.


Aqueles homens haviam saído da caverna atendendo a uma convocação para a guerra e precisavam estar focados no que estava por vir, no entanto, a maneira relapsa com que beberam parece apontar para uma falta de disposição e comprometimento com o objetivo que era a vitória. Deus não precisa de condições favoráveis para operar Suas maravilhas, mas, espera que o homem se posicione diante do Seu chamado e tenha disposição para crer e obedecer. Podemos não ter condição para vencer, mas, não pode faltar em nós a disposição para lutar.






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.









domingo, julho 16
Postado por: Rubens Ennes

SAINDO DA CAVERNA #13: Dominado ou dominante


“Então, os homens de Israel disseram a Gideão: Domina sobre nós, tanto tu como teu filho e o filho de teu filho, porque nos livraste do poder dos midianitas. Porém Gideão lhes disse: Não dominarei sobre vós, nem tampouco meu filho dominará sobre vós; o SENHOR vos dominará.” (Juízes 8.22-23)

Logo após alcançar aquela grande vitória sobre os inimigos, Gideão recebeu uma proposta inusitada, os homens israelitas pediram a Gideão que dominasse sobre eles. Aquela gente viveu sete anos sob o domínio midianita e agora livres, estavam mais uma vez entregando o controle de suas vidas nas mãos de um homem. Parece que os homens de Israel não aprenderam nada com o exemplo do próprio Gideão, alguém que se dependesse dos homens, estaria condenado ao fracasso.

O maior desafio para Deus não está no tamanho dos nossos problemas, mas, na dificuldade que o homem tem de entender que não precisa esperar ou depender de quem quer que seja para vencer suas guerras, desde que aprenda a viver pela fé, dependendo exclusivamente de Deus para lhe fortalecer, proteger, dirigir e ajudar. Entenda, podemos até precisar da ajuda das pessoas em vários momentos de nossa vida, o problema não é este! O que não pode acontecer é aceitarmos depender que os outros decidam ou lutem por nós. A sua parte é a SUA parte.


Foi através do que fez no altar que Gideão entregou sua vida completamente a Deus, e uma vida sobre o domínio de Deus, é uma vida completa. Não se deixe dominar pelas dúvidas ou pelo medo, pois, quando uma situação se agrava, é para nós que se agrava, não para Deus. Os impossíveis dos homens continuam sendo possíveis para Ele.







*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.



sábado, julho 15
Postado por: Rubens Ennes

SAINDO DA CAVERNA #12: Deixe que o Senhor seja a sua condição


"Vindo Gideão ao Jordão, passou com os trezentos homens que com ele estavam, cansados mas ainda perseguindo. E disse aos homens de Sucote: Dai, peço-vos, alguns pães para estes que me seguem, pois estão cansados, e eu vou ao encalço de Zeba e Salmuna, reis dos midianitas. Porém os príncipes de Sucote disseram: Porventura, tens já sob teu poder o punho de Zeba e de Salmuna, para que demos pão ao teu exército?" (Juízes 8:4‭-‬6)

Os homens de Sucote não ajudaram a Gideão por não acreditarem que ele conseguiria vencer os reis midianitas. E era compreensível, pois, há poucos dias Gideão era só mais um homem pobre, inseguro e sem expressão que agora liderava uma revolta em favor de toda sua nação. 

Algo semelhante também acontece conosco. Muitas vezes, somos menosprezados pelas pessoas por causa da nossa aparência, da nossa idade, escolaridade ou condição financeira. Mas, não podemos aceitar que nada disso determine o nosso valor ou o que podemos ou não alcançar. 

Gideão não tinha o perfil de um líder e se dependesse de seus atributos, não chegaria onde chegou. Gideão creu e o Senhor se tornou a sua condição.

Pode ninguém acreditar em você, mas, você tem que crer. Deixe de apoiar sua esperança na capacidade que não tem, transfira para o altar, para os braços de Deus, a sua confiança e segurança, deixe que o Senhor seja a sua condição.






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.




sexta-feira, julho 14
Postado por: Rubens Ennes

SAINDO DA CAVERNA #11: Cuidado com a sensação de autossuficiência

"Disse o Senhor a Gideão: É demais o povo que está contigo, para eu entregar os midianitas nas suas mãos; Israel poderia se gloriar contra mim, dizendo: A minha própria mão me livrou." (Juízes 7.2)

Tão importante quanto crer em Deus, é acreditarmos em nós mesmos. Podemos realizar muito mais do que imaginamos; acredite você se surpreenderia se soubesse do que é capaz.

Mas, cuidado! A sensação de autossuficiência é uma armadilha perigosa que nos faz acreditar que sempre podemos fazer tudo o que necessitamos contando somente com nossas próprias forças.

Para evitar esta atitude entre os soldados de Gideão, Deus reduziu seu número que já era de insuficientes trinta e dois mil homens para apenas trezentos. Com um exército tão pequeno, não podia caber alguma dúvida de que aquela vitória proviria de Deus. Os homens não poderiam levar a glória.


Não fique de braços cruzados esperando que Deus faça todo o trabalho sozinho, nem tente resolver tudo na força do seu braço. Deus trabalha em parceria com o homem e se quisermos a vitória que só Senhor pode nos dar, temos que reconhecer nossa dependência d'Ele depositando toda a nossa confiança n'Ele. A ELE seja dada toda a glória!






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.









quinta-feira, julho 13
Postado por: Rubens Ennes

SAINDO DA CAVERNA #10: Vencendo o medo



 “Então, Gideão tomou dez homens dentre os seus servos e fez como o SENHOR lhe dissera; temendo ele, porém, a casa de seu pai e os homens daquela cidade, não o fez de dia, mas de noite.” (Jz 6.27)

Durante os sete anos da opressão midianita, assim como todo o seu povo, Gideão também havia se deixado dominar pelo medo, aceitando apenas ouvir falar das maravilhas de Deus sem nada fazer.

Sua história começou a mudar no dia que Gideão saiu da caverna que vivia para manifestar toda sua indignação contra a vida que ele e seu povo levavam. Aquela reação diferente parece ter chamado à atenção de Deus que passa a lhe mostrar caminho da mudança, um caminho que ele segue apesar do medo que ainda o acompanhava.

O medo é inerente ao ser humano, o problema não é possuí-lo, basta estarmos vivos para termos algum medo. O problema é deixarmos que este sentimento nos paralise ao ponto de não tomarmos as atitudes que precisamos.


As batalhas mais importantes da vida são decididas em nossa mente. O sucesso e o fracasso começam dentro de nós. Não se dobre às dúvidas e ao medo, mas, abrace a fé e a visão da vida nova e transformada que Deus lhe deu!






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.









quarta-feira, julho 12
Postado por: Rubens Ennes

SAINDO DA CAVERNA #9: De último a primeiro.


"E disse-lhes: Olhai para mim e fazei como eu fizer. Chegando eu às imediações do arraial, como fizer eu, assim fareis. Quando eu tocar a trombeta, e todos os que comigo estiverem, então, vós também tocareis a vossa ao redor de todo o arraial e direis: Pelo Senhor e por Gideão!" (Juízes 7:17-18)

De último a primeiro. De menor da família mais pobre a comandante do exército e juiz de Israel. A trajetória de Gideão é para nós, um grande exemplo de superação. Alguém cuja vida era digna de pena e que parecia estar condenado ao fracasso, mas, que teve sua história mudada quando decide lutar ao invés de lamentar sua miserável condição.


Façamos o mesmo e abandonemos de vez a mentalidade de vítima para assumir as rédeas do nosso destino. Quando usamos todos os recursos que Deus tem nos dado para reagir, é uma questão de tempo para deixarmos de ter uma história de decepção para tornarmos um inspirador exemplo de superação.  






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.







terça-feira, julho 11
Postado por: Rubens Ennes

A presença de Deus e as tempestades da vida


Com certeza ninguém gosta do sofrimento ou de passar pelas lutas, porém, nas mãos de Deus essas provas se transformam em um instrumento utilizado para que a Sua vontade se cumpra em nossa vida, isso para nos transformar em pessoas que Ele quer que sejamos. Por nossa própria força não podemos, porque somos limitados e nos faltam recursos e habilidades para enfrentar os grandes desafios da vida. Por isso, Deus nos dá exatamente o que precisamos: A certeza de que Ele está presente.

Durante uma luta ou crise, pode ser que não sintamos a presença de Deus, mas, Ele promete que sempre estará conosco aconteça o que acontecer. "Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque o SENHOR teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará" (Dt 31.6).

Naquela terrível tempestade, os discípulos pensaram que estavam sozinhos e quando viram a Jesus o medo aumentou isso porque pensaram que ele era um fantasma e ao reconhecê-lo o medo foi transformado e se encheram de coragem e esperança.


A certeza de que Ele nunca vai nos abandonar nos oferece alivio imediato, além de coragem e confiança, que nos ajudam a suportar a pressão e seguir em frente. Deus também promete dar a Sua direção quando passamos pelas tempestades, os discípulos devem ter se perguntado quanto tempo duraria aquela tempestade, e, se eles chegariam a salvos na costa, mas se eles não tivessem passado por aquela situação, não teriam visto a manifestação do poder do Senhor Jesus sobre o vento e o mar. Este terrível desafio se transformou numa revelação da natureza divina do Salvador.

Deus também quer mostrar o seu poder através de nossas tempestades, Ele sempre estará conosco sentindo ou não a Sua presença. Peça sempre a Deus para que Ele te permita ter estas experiências no meio das tempestades, por pior que elas sejam. Ele te dará forças para suportar a pressão e sabedoria para seguir na direção certa. Ainda que a tempestade seja grande, não se esqueça, Deus tem o controle do barco.

Pense nisso e que Deus o abençoe.













segunda-feira, julho 10
Postado por: Jose Ferro

SAINDO DA CAVERNA #8: Não menospreze Quem está ao seu lado

“Tornou-lhe o SENHOR: Já que eu estou contigo, ferirás os midianitas como se fossem um só homem.” (Juízes 6.16)

Seria bom se para enfrentar as lutas da vida, sempre pudéssemos contar com a ajuda de alguém ao nosso lado. Mas, na maioria das vezes, a realidade não atende ao nosso ideal e nos vemos sozinhos em meio as guerras. Ás vezes, é até melhor que ninguém nos ajude, porque existe gente que até te estende a mão hoje, mas, que joga isso na sua cara para o resto de sua vida.


É comum as pessoas se queixarem em tom entristecido que ninguém as entende ou as ajuda e que nesta vida “só” tem Deus por elas. Como assim “só” tem Deus? Quem tem Deus, tem tudo o que precisa para enfrentar os desafios da vida. Não menospreze Aquele que está do seu lado e que é seu amigo e aliado.  






*Para mais mensagens da série "Saindo da Caverna" clique AQUI.







Postado por: Rubens Ennes

Receba as novidades do Blog em seu e-mail

Mantenha-se informado e atualizado

+ Recentes

Arquivos do blog

Sentido Único ©Copyright - Todos os direitos Reservados.. Tecnologia do Blogger.

Copyright © Sentido Único | Seguindo Sempre na Direção do Céu